Os acusados são moradores da cidade. Entre eles está a filha de um agente da Polícia Federal.

A 4ª Delegacia de Polícia (Guará) apreendeu dois adolescentes e um jovem de 18 anos suspeitos de atear fogo no morador de rua Edvan Lima da Silva, 49 anos. Os acusados são moradores da cidade e entre eles está a filha de um agente da Polícia Federal. O crime ocorreu na madrugada do último dia 1º de agosto, na QI 16 do Guará 1. Informações preliminares divulgadas pelos investigadores revelam que o trio agiu premeditadamente. Eles teriam passado em um posto de combustíveis, comprado gasolina e na sequência se dirigiram para a praça onde Edvan e outros dois mendigos dormiam.

O grupo arremessou o inflamável nos moradores de rua e fugiu. Edvan foi o mais atingido pelas chamas. Ele teve 63% do corpo queimado e morreu dois dias depois, no Hospital Regional da Asa Norte (Hran).

Os dois adolescentes foram apreendidos pela 4ª DP alguns dias depois do crime. A operação contou com a participação da Delegacia da Criança e do Adolescente (DCA). O último suspeito, Wesley Lima da Silva, 18, acabou detido na tarde desta terça-feira (20/8), na praça da QI 6 do Guará 1.

As primeiras linhas de investigação apontavam para uma possível briga entre moradores de rua, mas o inquérito da Polícia Civil revelou que os jovens de classe média queriam fazer uma “brincadeira” e assustar os mendigos.