Melhorias na pista de corrida aumentarão as chances de Brasília sediar mundial Moto GP de 2014

O Autódromo Internacional de Brasília poderá ser tornar, no próximo ano, palco das competições do mundial Moto Grand Prix (Moto GP), prova máxima do Grande Prêmio de Motociclismo, e para isso, o espaço será reformado e entregue até o final do primeiro semestre de 2014.

“Brasília avançou bastante nas tratativas e estamos há um passo de ter a nossa capital e o Brasil sediando esse evento. Estamos muito otimistas com essa possibilidade de realizar a prova âncora que colocará Brasília no circuito dos grandes eventos”, destacou hoje o governador Agnelo Queiroz.
Acompanhado de Carmelo Ezpeleta, executivo da Dorna Sports (empresa detentora dos direitos comerciais do campeonato), o chefe do executivo local detalhou que a escolha será anunciada em setembro, na Inglaterra.
O projeto da pista será feito pela Federação Internacional de Motociclismo e doado ao GDF, que deverá coloca-lo em prática.
A expectativa é que as obras comecem ainda neste semestre para que toda a adequação do local de competição esteja finalizada no primeiro semestre de 2014.
“Preparando o autódromo para a motovelocidade, estamos preparando para qualquer evento do mundo nos termos de segurança. Essa prova exige muito nesse quesito e todas as modalidades poderão aproveitar as melhorias que faremos”, acrescentou o governador.
De acordo com o representante da Dorna Sports, Carmelo Ezpeleta, se escolhida, a capital brasileira terá um contrato de cinco anos para receber as competições.
“Estou muito feliz de estar aqui e vemos que Brasília apresenta o melhor projeto, sobretudo do ponto de vista da segurança. Ela cumpre todos os requisitos para a realização da prova”, enfatizou.
A primeira fase das obras contemplará a modificação do traçado da pista e a troca da pavimentação, e, em seguida, serão melhoradas as arquibancadas e outras instalações.
O presidente da Federação de Motociclismo do DF, Carlos Augusto Senise, esclareceu que as obras deverão ser iniciadas na área próxima aos boxes para que o calendário de atividades seja preservado, e, ao final da temporada, o restante da pista receberá as intervenções.
Para o presidente da Confederação Brasileira de Motociclismo (CBM), Firmo Henrique Alves, a escolha do DF para sediar a modalidade deixará um legado e será uma forma de aproximar o público brasileiro do esporte.
“Temos no Brasil 20 milhões de motociclistas e somos o 4º mercado consumidor de moto. Nosso clima é totalmente favorável para sediar este evento porque temos milhões de amantes e essa é uma luta de muito tempo”, revelou.
O público nestas competições soma, normalmente, entre 70 mil e 100 mil expectadores, mas a expectativa do GDF é reunir um público.