Fazenda catarinense otimiza mão de obra e aumenta taxa de prenhez do rebanho de leite após implantação de sistema de monitoramento

 Software de gestão de ordenha Dataflow, da Allflex, marca da MSD Saúde Animal Intelligence, está em utilização na propriedade há cerca de um ano



Há mais de 30 anos, a Fazenda Bagatini, situada em Xanxerê (SC) investe na produção leiteira, que hoje é a principal atividade da propriedade. Há cerca de um ano, após a adoção do sistema de monitoramento e do software de gestão de ordenha Dataflow da Allflex, marca da MSD Saúde Animal Intelligence, os resultados mostram a otimização da rotina de trabalho e o aumento dos índices de prenhez e de sanidade.

Um dos proprietários, Rodrigo Bagatini, conta que em 2017 a fazenda adotou o sistema de produção Compost Barn, quando foi construído o primeiro barracão. As melhorias e ampliações continuaram em 2020, com um segundo galpão, direcionado para animais em lactação e em pré-parto, um bezerreiro, além de melhorias na “cozinha”, onde é preparada a dieta dos animais.

“Minha mãe começou com uma vaca, depois duas e assim a produção foi crescendo até se tornar a principal atividade da fazenda. Quando chegamos às 500 vacas em lactação, surgiu a dificuldade de controle em relação à saúde dos animais e à reprodução. Foi nesse momento que optamos pelo colar de monitoramento da Allflex”, detalha Bagatini.

A solução tem sido utilizada há um ano e segundo o pecuarista, ele e os funcionários não se veem mais sem a ferramenta. “Hoje ela é fundamental para toda a nossa atividade leiteira: para o monitoramento da saúde e ruminação, mas, principalmente, para a reprodução”, ressalta.

Ele explica que a técnica de IATF (Inseminação Artificial em Tempo Fixo) era pouco utilizada. “Com a vinda do monitoramento, 100% da identificação do cio é feita, hoje, pelo sistema, tanto das vacas em lactação quanto das novilhas em idade reprodutiva. E os números são muito bons, bastante satisfatórios”, comenta.

A ferramenta otimizou e trouxe maior acurácia ao trabalho do responsável pela saúde das vacas e pelas inseminações, Leandro Marin. Ele explica que antes era tudo “no olho”, tanto a identificação de cio quanto das vacas doentes, o que requeria um controle visual constante. “Com um grande número de vacas tudo fica mais difícil, por isso o monitoramento auxiliou em 100% o meu dia a dia. Inclusive conseguimos aumentar a taxa de prenhez, já que temos o horário correto da inseminação”.

“Fazemos também com os colares todo o acompanhamento dos lotes de vacas em pré-parto, pós-parto e as medicadas. O sistema é muito simples, bem fácil de trabalhar, objetivo e traz os dados com clareza. Tem feito toda a diferença”, salienta o gerente Operacional, Odair Simon.

Para a gerente administrativa da fazenda, Juliana Bagatini, o controle também é um diferencial, assim como os relatórios. “Conseguimos acompanhar o manejo e a produção como um todo mesmo não estando na sala de ordenha. Além disso, é possível extrair relatórios diários e semanais, tornando a nossa rotina muito mais prática e as decisões mais assertivas”, atesta Bagatini.

“A solução de monitoramento da Allflex trouxe para a Fazenda Bagatini uma série de melhorias que vieram ao encontro do desejo de crescimento e otimização dos processos, na qualidade do leite e no bem-estar animal, e se tornou um diferencial competitivo para o negócio”, ressalta a coordenadora de Território da MSD Saúde Animal Intelligence, Marjana Traesel.

Postar um comentário

0 Comentários