DILMA: 100 mil lojas fechadas em 2015 e 245 mil demissões em 2016

Aproximadamente 100 mil lojas foram fechadas no ano passado. Esse é o reflexo do desemprego crescente, do endividamento das famílias e do crédito caro que deixam o varejo em uma situação difícil e com retração de vendas em 2016

Promoções e renegociações tem sido estratégias cada vez mais frequente entre os lojistas para manter a clientela. Mesmo assim, o crédito travado e a inadimplência em crescimento mínguam os planos de grandes varejistas, conforme explica matéria publicada hoje (28) pelo jornal O Estado de S. Paulo.

A Fundação Getúlio Vargas (FGV) revelou que os comerciantes reclamam cada vez mais da demanda insuficiente e dos custos com mão de obra, o que pode incentivar demissões nos próximos meses.

A expectativa é que aproximadamente 245 mil trabalhadores formais sejam demitidos neste ano. O dado é da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) que prevê mais fechamentos de estabelecimentos em 2016.

O varejo depende do consumo doméstico. Entretanto, com as famílias contendo os gastos devido à crise econômica, as vendas ficam prejudicadas o que impacta diretamente o setor.

Em 2015 as vendas no varejo restrito encolheram 4,3%, o pior resultado desde o início da pesquisa do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), em 2001. No segmento ampliado, que inclui veículos e material de construção, o tombo foi ainda maior, de 8,6%.

Como resultado, o Produto Interno Bruto (PIB) do comércio deve ter encolhido 8% no ano passado, o pior resultado desde o início das Contas Nacionais em 1948, estima a CNC.