Voo Brasília-Buenos Aires intensificará relação entre Brasil e Argentina


Para governador, posição geográfica da capital atrairá turistas de outras regiões do país interessados na rota


O voo Brasília-Buenos será estratégico para o turismo, negócios e cultura, em função da posição geográfica das capitais e intensificará a relação entre Brasil e Argentina, destacou o governador Agnelo Queiroz, durante solenidade em comemoração a retomada do voo direto operado pela Aerolíneas Argentinas.

“Todo Norte e Nordeste do Brasil, com certeza, para ir para Buenos Aires, vai preferir vir até Brasília e pegar o voo direto do que ir até São Paulo para fazer isso. Será muito mais confortável e um tempo menor de viagem por conta da nossa posição geográfica”, declarou.

De acordo com o chefe do executivo distrital, a capital federal tem potencial forte para o turismo, pois a população “aprecia viajar e conhecer outras culturas, de forma quase regular”, mas destacou a reciprocidade, uma vez que o Brasil terá dois grandes eventos esportivos e Brasília é uma das cidades sedes da Copa do Mundo de 2014.

O embaixador argentino Luis María Kreckler disse que a retomada da atividade permitirá aos argentinos conhecer o país, além do eixo Rio-São Paulo. “Brasília e Buenos Aires conectadas era um sonho (...) o voo nos permitirá chegar a capital do Brasil e a um Brasil mais profundo”.

Para o presidente da Aerolíneas Argentinas, Mariano Recalde, a rota terá impactos como o crescimento das relações comerciais, culturais e turísticas, não só regionalmente, mas entre as nações e ele acredita que, em pouco tempo, a companhia precisará incrementar o número de voos.

“Estamos convencidos de que esta nova rota, esta nova forma de nos conectarmos, teremos força para manter esse voo e em pouco tempo aumentarmos a frequência e aumentar a conectividade não só entre as capitais, mas entre os países”, disse.

AEROPORTO INTERNACIONAL- O governo destacou ainda o trabalho realizado pelo consórcio Inframérica, formado por empresas brasileiras e argentinas, no Aeroporto Internacional Juscelino Kubistchek: “(A Inframérica) Está mostrando em um período curto a que veio, com investimentos rápidos, vai concluir a primeira etapa dessa reforma em abril, no máximo em maio de 2014”, ressaltou.

De acordo com Agnelo Queiroz, a obra vai aumentar a capacidade do aeroporto em 10 milhões de passageiro/ano e o aeroporto se transformará em um grande polo de desenvolvimento econômico da capital federal.

Postar um comentário

0 Comentários