Artigo : A economia global em tempos de interrupções na cadeia de suprimentos

É muito importante que as empresas busquem um maior aproveitamento dos benefícios fiscais, monetizando créditos tributários e incrementando seu fluxo de caixa




Renata Vicentin*


No início desse ano, quatro especialistas do Federal Reserve Bank of New York** apresentaram um estudo com o objetivo de construir um indicador livre das pressões globais da cadeia de suprimentos, que pudesse ser usada para avaliar a importância das restrições de suprimento em relação aos resultados econômicos.

Considerando mercados diversos, como áreas do Euro, China, Japão, Coréia do Sul, Taiwan, Reino Unido e Estados Unidos, várias medidas foram usadas para avaliar as interrupções na cadeia de suprimentos que se tornaram um grande desafio para a economia global desde o início da pandemia do COVID-19, com as já conhecidas paralisações de fábricas, falta de insumos, restrições de mobilidade, interrupções nas redes logísticas, aumentos nos custos de fretes, prazos de entrega mais longos etc.

Esse indicador ganhou o nome de Global Supply Chain Pressure Index – GSCPI, ou “Índice de Pressão da Cadeia de Suprimentos Global”, integrando uma série de métricas comumente usadas com o objetivo de fornecer um resumo mais abrangente de possíveis interrupções que afetam as cadeias de suprimentos globais.

O primeiro conjunto de indicadores extraídos do foco nos custos de transporte internacionais foram os dados do Baltic Dry Index – BDI, que rastreia o custo de envio de matérias-primas. O segundo foi o índice Harpex , que rastreia as mudanças nas taxas de transporte de contêineres no mercado de fretamento para oito classes de navios e o terceiro foi o Bureau of Labor Statistics – BLS dos Estados Unidos da América, que constrói índices de preços que medem o custo do transporte aéreo de carga que chegam e saem daquele país para a Ásia e a Europa.

A indústria de transformação global está sentindo a falta de matéria-prima. O estudo cita muito bem um ponto importante: Por exemplo, os produtos finais produzidos por empresas americanas são frequentemente montados a partir de componentes e peças fabricados na Ásia e na Europa.

Portanto o maior problema da indústria não têm sido a falta de demanda, mas sim a falta de insumos em decorrência de dificuldades logísticas e operacionais, como ao aumento dos preços dos fretes internacionais e ao congestionamento nos portos marítimos. O BDI alcançou em 2021 seu maior nível em mais de dez anos.

No Brasil o cenário não é diferente dos países citados no estudo GSCPI! O preço do frete marítimo segue a oscilação para cima indicada por ele. Como exemplo, o custo do frete marítimo China/Brasil até por volta de outubro de 2020 era de US$2.000,00 por contêiner, subiu na sequência significativamente, chegando a atingir US$10.000,00 por contêiner.

A Becomex conhece a fundo os desafios deste cenário e entende que uma maneira de melhorar a eficiência e aumentar a competividade é a aplicação da Gestão Integrada de Regimes Especiais, como o RECOF-SPED, modalidades de Drawback, com ênfase em Suspensão e Intermediário.

A estratégia de Integração de Regimes Especiais ganha relevância em um cenário de alto custo de importação, comprometimento de margens e incerteza de contexto futuro. Existem fatores que não estão no controle dos importadores, por isso é importante que a agroindústria esteja atenta a parcerias estratégias e integração dos elos das suas cadeias produtivas.

Dentro deste cenário, a implementação integrada de Regimes Especiais vigentes, criados para aumentar a competividade das exportações brasileiras perante o mercado internacional, representar uma excelente oportunidade para o Agronegócio e inova a forma de planejar e fazer negócios.

Considerando que as oscilações devem seguir pelo menos durante esse ano de 2022, é muito importante que as empresas busquem um maior aproveitamento dos benefícios fiscais, monetizando créditos tributários e incrementando seu fluxo de caixa.

A Becomex é capaz de atuar lado a lado com o Agronegócio e promover a diminuição dos acúmulos de créditos tributários, o aumento do fluxo de caixa e a redução de custos. Somos líderes em Regimes Especiais no Brasil e pioneiros no desenvolvimento de uma estratégia colaborativa que permite ganhos em todos os elos da cadeia produtiva, o Business Collaboration Chain – BCC. Além disso, a Becomex atua com uma forte base de alta tecnologia.

Somos especialistas nas áreas fiscal, tributária e aduaneira. Em 14 anos de história, trabalhamos com mais de mil grupos econômicos, entre eles as maiores empresas do país. Nossos pilares são: o conhecimento multidisciplinar de nossos mais de 450 colaboradores, e tecnologia avançada, desenvolvida nas nossas fábricas de software.



*Renata Vicentin, Gerente de Contas Estratégicas da Becomex.

**Gianluca Benigno, Julian di Giovanni, Jan J. J. Groen, and Adam I. Noble, “A New Barometer of Global Supply Chain Pressures” Federal Reserve Bank of New York Liberty Street Economics, January 4, 2022, https://libertystreeteconomics.newyorkfed.org/2022/01/a-new-barometer-of-global-supply-chain-pressures/.



Postar um comentário

0 Comentários